Não pense que escrevo aqui o meu mais íntimo segredo, pois há segredos que eu não conto nem a mim mesma. E não é só o último segredo que revelo: há muitos segredinhos primários que eu deixo que se mantenham em enigma... (Clarice Lispector)

"São pelos pequenos momentos ...Que a gente quase morre ...Que intensamente vive ...Que longamente espera..."

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Como foi belo
o amor que te dei
e os momentos vividos,
que não se repetem,
apenas ficam
na memória do tempo!

Como foi belo
aquele amanhecer
que gerou dentro de ti,
a paixão, o amor
nunca antes vivido
e que voou
pelo mar imenso
e nos juntou
num sentir
forte,
Muito forte,
que parecia eterno!

Um eterno
enquanto durou…
Ficam marcas
desta paixão,
deste amor original,
distante
que uniu corações
que só nós entendemos,
sentimos
e nunca esqueceremos!
José Manuel Brazão

Amigos queridos, estarei ausente por uns dias,
preciso descansar, rsrsrs
Bjs a todos que por aqui passarem.

4 comentários:

  1. Olá, querida Jacy!

    Este poema é um belissimo hino ao amor!

    Parabéns e descanse muito e bem!

    Um beijo,

    Renato

    ResponderExcluir
  2. Bom descanso!!!

    Sua ausência não significou falta de beleza!!

    Lindo poema!

    Um beijo e volte breve!

    Sonia Regina.

    ResponderExcluir

Olá amigos,
Sua visita e comentários me deixam imensamente feliz!!!
Obrigada!!!!


MusicPlaylistView Profile
Create a playlist at MixPod.com