Não pense que escrevo aqui o meu mais íntimo segredo, pois há segredos que eu não conto nem a mim mesma. E não é só o último segredo que revelo: há muitos segredinhos primários que eu deixo que se mantenham em enigma... (Clarice Lispector)

"São pelos pequenos momentos ...Que a gente quase morre ...Que intensamente vive ...Que longamente espera..."

domingo, 31 de maio de 2009

Prêmio Blog Dourado


Recebi este prêmio da minha amiga Sônia do Blog Eu vou Gritar pra todo mundo ouvir !!!

Muito Obrigada, amiga pela premiação!

O mote de criação do prêmio é o seguinte:
"É um prêmio que homenageia os melhores blogs e tem sua simbologia nas cores que utiliza.

A cor azul representa paz, profundidade e imensidão.
A cor dourada a sabedoria, a riqueza e a claridade das idéias. O prêmio em si representa a união entre os blogueiros."

Aos que o aceitarem, agradeço antecipadamente e passo a enunciar as regras: "Colocar o prêmio em situação visível ou linká-lo.
“Anunciar através de um link, o blog que o premiou e premiar até outros 15 blogs, avisando ao blogueiro sobre a premiação.”
Meus indicados são os seguintes blogs:

Anne, Encanto de Fada
Carmem, Anseios da Alma
Ana, Pelos Caminhos da Vida
Natasha, Meu Mundo
Valdemir Reis, Cantinho de Lua e Paz
Fátima, A Vendedora de Sonhos
Neli, O pensamento Voa
Andréa, Meu Mundo e Nada mais

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Pra sempre vou te amar


Sei que nada vai mudar as nuvens se transformam
Pra sempre se juntar
Eu sinto bem mais perto o final
Como pode um grande amor aos poucos se acabar

Te amo te quero mesmo sabendo que você
não é mais tudo que um dia eu quis
E assim vou ficar vai ser assim
Pra sempre vou te amar

Não o tempo não passou
O vento vem mais forte agora
Sozinho aqui estou
Eu vejo teu rosto em cada olhar
Olho pra mim mesmo amor
Eu volto a te encontrar

Te amo te quero mesmo sabendo que você
não é mais tudo que um dia eu quis
E assim vou ficar vai ser assim
Pra sempre vou te amar

Toda vez que te falar
Que não quero mais te amar, te amo, te amo
Toda vez que te disser
Que eu não quero mais querer
Te quero te quero te quero

Te amo te quero mesmo sabendo que você
não é mais tudo que um dia eu quis
E assim vou ficar vai ser assim
Pra sempre vou te amar

E assim vou ficar vai ser assim
Pra sempre vou te amar

Robinson Monteiro

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Ah...se eu pudesse.



Ah...se eu pudesse.

Se eu pudesse colher estrelas,
todo dia eu levaria uma para você.
Se eu pudesse chegar ao sol
eu pegaria um raio de luz só para você.
Se eu pudesse encontrar o pote do arco iris
eu daria todas as cores para você.
Eu faria isso tudo só por você!
Se eu pudesse chamar todos os passarinhos
eu os faria cantar para você.
Se eu pudesse construiria uma montanha só sua para
para que você descansasse mais perto do céu.
Se eu pudesse eu isolaria uma floresta onde só você
pudesse entrar, ir ao seu próprio encontro e respirar a paz.
Eu faria isso tudo só por você!
Se eu pudesse eu lhe levaria todas as alegrias
do Universo naqueles dias em que se sente triste.
Eu criaria um lugar especial feito só para você.
Um lugar onde você pudesse achar serenidade, estar só consigo
e se refazer dos seus cansaços.
Se eu pudesse apagar os seus problemas
eu usaria toda a minha força para faze-los desaparecer.
Eu faria isso tudo só por você!
... Mas não sei colher estrelas, não posso chegar ao sol
nem sei aonde está o pote do arco iris.
Não sei chamar os passarinhos
nem sou capaz de construir montanhas.
Não tenho licença para isolar uma floresta
nem posso livrar você de todos os problemas.
Mas eu sei que posso dar-lhe o que de mais forte existe em mim :
esta vontade de ver você feliz e de estar sempre aí ...
... com você até o fim

Autor Desconhecido

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Não Sei...


NÃO SEI...

Não sei... se a vida é curta...
Não sei...
Não sei...
se a vida é curta
ou longa demais para nós.

Mas sei que nada do que vivemos
tem sentido,
se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que sacia,
amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo:
é o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela
não seja nem curta,
nem longa demais,
mas que seja intensa,
verdadeira e pura...
enquanto durar.

Cora Coralina

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Miss Imperfeita



Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!

E, entre uma coisa e outra, leio livros.

Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.

Primeiro: a dizer NÃO.

Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.

Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.

Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.

Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.

Você não é Nossa Senhora.

Você é, humildemente, uma mulher.

E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.

Tempo para fazer nada.

Tempo para fazer tudo.

Tempo para dançar sozinha na sala.

Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.

Tempo para sumir dois dias com seu amor.

Três dias.

Cinco dias!

Tempo para uma massagem.

Tempo para ver a novela.

Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.

Tempo para fazer um trabalho voluntário.

Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.

Tempo para conhecer outras pessoas.

Voltar a estudar.

Para engravidar.

Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.

Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.

Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

Existir, a que será que se destina?

Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.

A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.

Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.

Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!

Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.

Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.

E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante' .


© Martha Medeiros - Jornalista e escritora

(Texto na Revista do Jornal O Globo)

terça-feira, 19 de maio de 2009

Motivos


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste: sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
Não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
– não sei, não sei. Não sei se fico ou passo.

Sei que canto.
E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo: – mais nada.

Cecília Meireles

terça-feira, 12 de maio de 2009

Amo-te tanto


Amo-te tanto meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.


Amo-te enfim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.


Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.


E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.


Vinícius de Morais

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Diz-me porque


Diz-me porque teimas em olhar o céu, da noite o escuro
Ou as nuvens que se reflectem na água do mar
Porque não desvias o olhar e vês os jardins, larga esse muro
Que te detém não te deixando sequer sentir o que é amar

Diz-me porque te agarras à dor, ao fumo que te sufoca
Não te esqueces desses aromas adocicados, venenosos
que te chamam e te acorrentam como lobo numa toca
E não te libertas dessas amarras de portos perigosos

Diz-me porque me fazes chorar
Porque me deixas assim
E até me fazes envergonhar
Pelo que sinto em mim

Diz-me porque o teu mar aprendeu as marés altas
Se esqueceu das ternas ondas que beijavam a areia
E meus olhos poderão descansar, quando faltas
E sentirei a tua paz que o meu coração anseia

Diz-me só uma vez:
Que é feito desse amor lindo que se fez,
Dessa doçura do teu olhar,
Do meu alegre acordar...

Dir-te-ei que talvez tudo seja assim
Porque tens medo de aceitar
Que nunca te esqueceste de mim
E tens vergonha de voltar

Extraído do blog Doce amor

A Lua a contemplar


Pensei na alegria,
que não tens,
mas que me dás,
quando comigo estás!

Entendes
como um carinho,
que me conforta,
me serena!

Como te compreendo!

Tens
um coração aberto,
para me oferecer
aquilo que procuro…

Entendes
que preciso esquecer
um passado sofrido,
com marcas na alma,
e levar-me
por um caminho
com esperança
e harmonia
onde encontrarei
o que procuramos:
paz, amor
e o Sol a sorrir
e a Lua a contemplar!


Extraído do blog Poesias com emoções
José Manuel Brazão

sexta-feira, 8 de maio de 2009

E o inverno chegou...


Este poema belíssimo trouxe do blog da minha querida amiga Neli, apesar de amar o inverno e tê-lo como uma das épocas em que tenho boas e saudosas lembranças, às vezes, sinto um friozinho de solidão e o ardente desejo de ouvir um assobio do meu amor.

E o inverno chegou.
Junto com ele,
um impiedoso
frio n’alma.
Então ela decide
partir
em busca de
outras paragens.

Semblante triste,
Coração cansado,
Viaja só...

Ao longe,
Um familiar assobio...
Será o vento?
O trem?
O esquecido amor?

Mas quando olha,
Não vê ninguém.
E o frio ficou insuportável...

" Neli "

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Amor Perfeito


Amor Perfeito, como o meu por você...

Fecho os olhos pra não ver passar o tempo
Sinto falta de você
Anjo bom, amor perfeito no meu peito
Sem você não sei viver
Vem, que eu conto os dias
Conto as horas pra ter ver
Eu não consigo te esquecer
Cada minuto é muito tempo sem você, sem você

Os segundos vão passando lentamente
Não tem hora pra chegar
Até quando te querendo, te amando
Coração quer te encontrar

Vem, que nos seus braços
Esse amor é uma canção
E eu não consigo te esquecer
Cada minuto é muito tempo sem você, sem você

Eu não vou saber me acostumar
Sem sua mão pra me acalmar
Sem seu olhar pra me entender
Sem seu carinho, amor, sem você

Vem me tirar da solidão
Fazer feliz meu coração
Já não importa quem errou
O que passou, passou, então vem, vem, vem, vem

Eu não vou saber me acostumar
Sem sua mão pra me acalmar
Sem seu olhar pra me entender
Sem seu carinho,amor, sem você

Vem me tirar da solidão
Fazer feliz meu coração
Já não importa quem errou
O que passou, passou, então

Vem, que eu conto os dias
Conto as horas pra te ver
Eu não consigo te esquecer
Cada minuto é muito tempo sem você, sem você

Vem, que nos seus braços
Esse amor é uma canção
E eu não consigo te esquecer
Cada minuto é muito tempo sem você, sem você

MusicPlaylistView Profile
Create a playlist at MixPod.com