Não pense que escrevo aqui o meu mais íntimo segredo, pois há segredos que eu não conto nem a mim mesma. E não é só o último segredo que revelo: há muitos segredinhos primários que eu deixo que se mantenham em enigma... (Clarice Lispector)

"São pelos pequenos momentos ...Que a gente quase morre ...Que intensamente vive ...Que longamente espera..."

terça-feira, 16 de março de 2010

Que me venha esse homem
depois de alguma chuva
que me prenda de tarde
em sua teia de veludo
que me fira com os olhos
e me penetre em tudo.

Que me venha esse homem
de músculos exatos
com um desejo agreste
com um cheiro de mato
que me prenda de noite
em sua rede de braços
que me perca em seus fios
de algas e sargaços.

Que me venha com força
com gosto de desbravar que me
faça de mata pra percorrer devagar
que me faça de rio pra se deixar naufragar.

Que me salve esse homem
com sua febre de fogo que me
prenda no espaço de seu passo mais louco.



Bruna Lombardi

2 comentários:

  1. Oi, Jhacy!

    Muito lindo este poema da Bruna!

    De tirar o fôlego!

    "Que me venha esse homem..."

    beijinho,

    neli

    ResponderExcluir

Olá amigos,
Sua visita e comentários me deixam imensamente feliz!!!
Obrigada!!!!


MusicPlaylistView Profile
Create a playlist at MixPod.com